Moleskines

Alguns itens viram moda e não sabemos nem como, mas de repente, todo mundo tem, todo mundo usa e com os caderninhos Moleskine, foi assim, todo fashionista que se preze, tem um !
Eles são pequenos cadernos de anotações, normalmente sem pauta, com folhas amarelas e mais grossas que as comuns. As capas são de vários materiais, mas a mais tradicional é de couro preto com as bordas arredondadas, fechada por um elástico.

Você já deve ter visto estes charmosos notebooks por aí, alguns até personalizados para suas viagens: você escolhe de acordo com o seu destino e dentro tem o mapa da cidade, lindo demais.
Mas cuidado, ao adquirir o seu primeiro Moleskine você corre o risco de se viciar, como a maioria das pessoas  do mundo todo !

Imagem: divulgação

Imagem: divulgação

Imagem: divulgação



Encontrei a história dos Moleskines no site da marca e como achei muito interessante, decidi compartilhar aqui no Coisas de Teteias:
O Caderno Lendário
O caderno Moleskine® é o herdeiro do lendário caderno usado nos últimos dois séculos por artistas e pensadores, como Vincent Van Gogh, Pablo Picasso, Ernest Hemingway e Bruce Chatwin. O pequeno caderno preto, discreto e essencial, com os característicos cantos arredondados, elástico e bolsa interna extensível foi produzido durante mais de um século por um pequeno encadernador francês que o fornecia às papelarias parisienses frequentadas por uma elite internacional de artistas e escritores de vanguarda. Este fiel companheiro de viagens guardou esboços, notas, histórias e ideias antes de se tornarem pinturas famosas ou livros aclamados.
Segundo Chatwin
Em meados da década de 1980, o pequeno caderno preto deixou de estar disponível. Bruce Chatwin conta toda a história do seu caderno favorito, que alcunhou de "moleskine", no seu livro "The Songlines". Em 1986 o fabricante original – uma família em Tours – fechou para sempre: "Le vrai moleskine n´est plus" são as palavras lapidares que Chatwin coloca no discurso do dono da papelaria da Rue de l´Ancienne Comédie – um local também lendário onde os cadernos eram armazenados. Antes de partir para a Austrália, o escritor e viajante inglês comprou todos os cadernos que conseguiu encontrar, mas não foram suficientes.
O Caderno Moleskine®
Em 1997, um pequeno editor milanês voltou a dar vida ao lendário caderno, atribuíndo-lhe este nome literário e resgatando desta forma uma tradição extraordinária. Seguindo os passos de Chatwin, o caderno Moleskine® inicia uma nova jornada, desta vez como um complemento indispensável à actual tecnologia portátil. Capturando a realidade em movimento, vislumbrando e registando detalhes, inscrevendo o carácter único da experiência em papel: o caderno Moleskine® é uma bateria que armazena ideias e sentimentos, liberando a sua energia ao longo do tempo.
Actualmente a marca Moleskine é sinónimo de cultura, viagens, recordações, imaginação e identidade pessoal, tanto na vida quotidiana como no mundo digital. Identifica uma família de cadernos, diários, agendas e inovadores guias de cidades para diferentes funções.
Com a diversidade de formatos de página, os cadernos Moleskine® são parceiros para as profissões criativas e imaginativas do nosso tempo. Representam, em todo o mundo, um símbolo do nomadismo contemporâneo, em estreita ligação com o mundo digital, através de uma rede de sites, blogs, grupos online e arquivos virtuais. Com os cadernos Moleskine, os gestos seculares de anotar e desenhar  - actividades tipicamente analógicas – encontraram um fórum de discussão inesperado na internet e nas suas comunidades.

E então, ficaram com vontade de correr agora mesmo para uma papelaria ?  fui !

Beijos

Comentários

  1. Muito bom o post.
    Parabéns excelente blog.
    Aproveite pra da uma visitinha lá no meu,tá cheio de novidades e posts incríveis...
    Dê uma passadinha lá vou ficar esperando.
    Beijos.
    www.meuestilogugafernandes.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Nós amamos comentários ! Deixe o seu !

Postagens mais visitadas